28.05.2014


Em ordem retrospectiva da temporada de festivais que trabalhei este ano de 2014, foram 11 festivais, sem contar com os eventos corporativos e casamentos que produzi também. Foi uma temporada ‘busy’, mas bastante prazerosa, como quem todo mundo que ama o que faz deve sentir esse prazer. Hoje vocês vão conhecer o Laneway, para ser mais completo ‘St. Jerome’s Laneway Festival’, que aconteceu uma semana depois do Big Day Out e durante o Fringe World Festival(último citado por aqui), para ser mais específica no dia 8 de fevereiro de 2014 em Fremantle, onde eu moro.Laneway é definitivamente o festival mais ‘indie’ que já trabalhei [para quem nunca ouviu esse termo 'INDIE' que entrou em uso no início da década de 1980, é a abreviação de 'independent' e se aplica, na indústria de artes e performance, para os músicos, produtores e artistas que ainda não tem contratos de 'press' and 'distribution' e lançam os seus projetos independentemente. É também um estilo musical pouco frequentado, mas neste último ano se tornou mais popular]. ADALITA — AUTRE NE VEUT — CASHMERE CAT -­ CASS MCCOMBS -­ CHVRCHES -­ CLOUD CONTROL** -­ DANNY BROWN -­ DAUGHTER -­ DICK DIVER -­ DRENGE ­- EARL SWEATSHIRT – FOUR TET -­ FRIGHTENED RABBIT -­ HAIM** ­- JAGWAR MA -­ JAMIE XX – ­KING KRULE -­ KIRIN J CALLINAN -­ KURT VILE -­ LORDE** ­- MOUNT KIMBIE… foram algumas das bandas que se apresentaram esse ano, pouco conhecidas pelo nome, mas quando se escuta as músicas se vai a loucura, pois são músicas muito boas que rolam em filmes de surf e em muitos cantinhos especiais aí escondidos pelo mundo. Segue algumas fotos oficiais do evento DIA & NOITE, já que são 12 horas de música simultânea em 4 ‘stages’(palcos) .Para que conheçam um pouco mais da história desse festival, ele foi idealizado por Jerome Borazio & Danny Rogers em Melbourne há 10 anos atrás(2004) quando perceberam que música de qualidade em um lugar especial faria toda diferença, é, eles escolhem lugares bem maneiros e culturais para realizar o festival. Trabalhei na edição do ano passado também, que foi realizado no centro cultural de Perth, mas este ano se mudaram definitivamente para Fremantle, para minha alegria completa. :) Este ano, além de Fremantle o festival também foi realizado nas outras capitais da Austrália como Melbourne, Brisbane, Adelaide e Sydney e se expandiu também para outras capitais do mundo como Auckland(Nova Zelândia), Detroit(USA) e Singapore. Se tornando cada ano maior e melhor, mas sempre focando na qualidade. O festival é também um dos meus favoritos para trabalhar e curtir por ter parceria na produção aqui em WA com a querida ‘Sunset Events’, produtora líder da área que já citei por aqui e que tem sempre suas iniciativas sustentáveis em vários aspectos do festival, como gestão do lixo, envolvimento com a comunidade local, iniciativas com transportes públicos gratuitos e sustentáveis e etc. Segue fotos da montagem/produção(1), da escultura de areia(2) do meu professor & inspirador de sustentabilidade Tim que foi convidado para expor sua arte, e minha com o programa do evento(3).

4 ok ok okAlém dessa vibe incrível, música de qualidade e organização que o festival proporciona. Eles contam com o projeto YIRIMAN em homenagem ao cantor, produtor musical local e incentivador do projeto, Dean Turner, que participou de várias ediçoes do Laneway, mas partiu para um plano maior após morrer de câncer há poucos anos atrás. Os produtores de Laneway não só dão continuidade ao projeto em suporte das comunidades aborígenes de Kimberley para resgatar sua cultura e identidade cultural, como também dão o nome de Dean a um dos palcos do Festival. Para saber mais sobre o projeto acesse o site official do Laneway clicando aqui.

Estava com saudades de espalhar as BOAS por aqui!

All the best,

Bela Cap.

28.03.2014


Em meio a tantos eventos, não posso deixar de lado a categoria estilo de vida por aqui, afinal faz parte de alguns dos meus projetos profissionais, pessoais, e do meu dia-a-dia. Como já mencionei anteriormente se tem uma coisa que vim procurar na Austrália é mais conhecimento sobre sustentabilidade, pois sempre vi esse país muito mais evoluído nesse aspecto de acordo com algumas pesquisas que desenvolvi ao longo da minha carreira profissional do que nosso Brasil que ainda tem muito a evoluir tanto nesse como em muitos outros aspectos.

Sustentabilidade? Eco-friendly? Mas do que se trata esse tema?! Tão falado & discutido nos dias de hoje… Nos dias de hoje?! Não só nos dias de hoje, há mais de 20 anos atrás vem sido discutido assuntos com a preocupação e preservação do meio ambiente, aquecimento global e diferentes aspectos que faz-nos repensar no futuro desse planeta terra. Então, foi quando fiz meu primeiro curso voltado para sustentabilidade, um treinamento em ‘Sustainable Events Management’ [Gestão de eventos sustentáveis] que assisti esse vídeo que me tocou e me fez repensar e analisar o que nós temos feito e aonde vamos chegar. Nesse vídeo, especificamente em 1992 no evento Rio Earth Summit, Severn Susuki com apenas 12 anos, canadense e filha do ativista David Susuki parou o mundo em 5 minutos.

Parece tudo muito complicado pensar em todos esses fatores e problemas sociais, mas meu objetivo é descomplicar & simplificar, tornar idéias em ações, e isso tem tudo haver com uma simples atitude: mudança. De quê? Do nosso estilo de vida ou ‘lifestyle’. Então, inauguro hoje a seção lifestyle por aqui, onde aos poucos através do desenvolvimento de projetos vou compartilhar com vocês a inspiração desse tão sonhado estilo de vida sustentável. Todo dia é uma conquista, um desafio, uma mudança.

Vou dizer que não é uma tarefa tão rápida quanto parece, mas é prazeroso saber que cada um de nós pode contribuir de alguma forma através de maneiras tão simples & práticas e a partir do momento que conseguimos mudar nossas atitudes, se vira um hábito. Todos nós podemos nos tornar ‘Earth Carers’ = cuidadores da terra. Não inventei esse nome, na verdade é o nome do curso que finalizei ontem. Earth Carers ['full lives, empty bins' = vidas completas, lixos vazios] é uma instituição com o apoio do governo que dá suporte a comunidades da costa oeste australiana educando e apoiando através de cursos, workshops, projetos & eventos para reduzir o lixo em casa, escola ou trabalho e incentivar uma ‘eco-earth living’ = vida amigável da terra. Eles tocam muito na tecla de conservar mais e consumir menos. Tudo que envolve esse mundo de coisas que no final vira lixo.  De como recusar, reduzir, reutilizar e reciclar. Além de compostagem orgânica & etc, enfim eles compartilham dicas e idéias sobre como fazer isso acontecer. Foi muito bom fazer esse curso, conhecer ainda mais pessoas inspiradoras que visam mudanças, pessoas normais como nós, que trabalham, estudam, tem filhos, viajam, mas fazem a sua parte da melhor maneira possível. Obtive mais dicas, idéias e conhecimento. O curso possui conceitos parecidos com o Projeto ‘Living Smart’, do qual hoje faço parte também, porém abrange uma visão maior sobre praticamente todos aspectos de um estilo de vida sustentável. Earth Carers possui sua especialidade e abrange de maneira mais profunda sobre o lixo e o impacto que ele tem nas nossas vidas. O curso foi desenvolvido em diferentes lugares inspiradores como a Biblioteca Municipal do bairro de ‘Peppermint Groove’ (prédio moderno construído para a comunidade local) com grandes iniciativas sustentáveis que nem imaginava que existia como isolamento natural de temperatura com pedras e muita inovação no eco-design(que seriam muitos detalhes a descrever), além outras iniciativas já utilizadas como energia renováveis(eólica e solar), reutilização da água em diversos setores do prédio, captação da água de chuva, tratamento do lixo, etc. Nem todas funcionaram como eles queriam, mas a maioria sim, teve um custo-efetivo e inspirador para aquela comunidade. Detalhes sobre esse prédio posso detalhar em outro post, pois fiquei realmente impressionada.

Além do ‘Resource Recovery Facility & Anaeco Alternative Waste Treatment Plant & Tamala Park Landfill’ [Centro de reciclagem e tratamento do lixo]; ‘Mosman Park Men’s Shed’ [Grupo comunitário de homens que visam se encontrar para desenvolver projetos com reutilação de materiais como madeira, ferro, aço e outros. Eles possuem equipamentos doados incríveis e criam desde de brinquedos recicláveis para crianças como diferentes projetos com a comunidade local].

 E por final o ‘Earthwise Community Centre’ [Centro comunitário do bairro de Subiaco - Perth - que visa compartilhar idéias e conhecimento sustentáveis entre a comunidade local] e o ‘Remida – Creative Reuse Centre’ [Centro criativo de reutilização de materiais - que coletam diferentes tipos de resto de materiais de empresas e lojas, que consequentemente iriam para o lixo e os torna disponível para indivíduos de todas as idades, escolas, creches, artistas e famílias que buscam criar projetos ou idéias do que você imaginar].

7 Detalhe – Já sou visitante assídua desse lugar, pois nas produções dos eventos sustentáveis sempre procuro usar materiais reutilizáveis de lá para alguns projetos e meu cartão de visita também criei usando tudo do Remida(vou mostrar em breve por aqui). :)

 Enfim, esse post foi só um começo para inspirar & compartilhar um lifestyle sustentável.

Boas inspiradoras, sempre!

Bela Cap.

05.03.2014


Se tem acompanhado as boas por aqui já deve ter ouvido falar em post anterior sobre esse mundinho encantado do Fringe World Festival. É, encantado mesmo! Por isso mereceu mais um post. Foi muito gratificante e prazeroso trabalhar nesse festival ao redor de artistas e pessoas criativas do mundo inteiro. Foi uma equipe maravilhosa junto a ‘Independent Events’ durante um mês de festival, é por isso e mais uma imensidão de festivais & eventos(Laneway, Future Music, Soundwave, além de eventos corporativos e casamentos) que aconteceu e trabalhei no período de Fringe também que me fez sumir por aqui por alguns dias que as boas virão por aqui em breve. Enfim, mas o assunto de hoje é a emoção maravilhosa que foi o  Fringe World, onde conheci pessoas incríveis, vi performances fantásticas e que fez muitas pessoas felizes. É indescritível em palavras, pois cada detalhe, decoração, diferentes tipos de ‘venues’[lugares] em ‘set ups’[arrumação] vintages e divertidas, performances, são únicos. Essa mistura de comédia, arte, música, dança, performance, cabaret, burlesque vindo de vários lugares do mundo fazem de Fringe um lugar muito especial. O centro da cidade de Perth fica incrivelmente diferente & alegre, com pessoas indo e vindo a todo tempo. ‘Farewell’, se leu até aqui pode estar se perguntando o que significa, ‘farewell’ é despedida, adeus ou partida em português, pois Fringe chegou ao fim por esse ano. Então, se conseguiu captar um pouco desse sentimento, confira algumas das imagens em filtros que eu captei com meu iphone entre um momento ou outro do festival, e outras fotografadas pela boníssima parceira de trabalho e irlandesa Ciara Eckhorst [Thanks Ciara! ]. As fotos estão com pouca qualidade, mas representam um pouco do que vi e vivi dessa magia, além de ter um ‘ar vintage’, bem estilo ‘FRINGE’. :)

7E para finalizar, Fringe nos surpreendou com uma despedida secreta e divertida somente para staff e artistas no ‘The Bakery’, um bar underground em Northbridge, se é que se pode chamar de bar, é tipo uma mistura de bar/casa de show ao ar livre e boate estilo anos 80 em meio a enormes containers e um decoração psicodélica fazendo uma idéia de labirinto da criatividade, se é que me entende.

13 18 copyAgora Fringe World parte para Adelaide, capital do sul da Austrália. Então, adeus, ‘farewell’ Fringe!

Photolifestyle

Vou sentir saudades dessas boas…

Bela Cap.